notícias - Cursilho

Ir para o conteúdo

Menu principal:

 Final de semana especial para os jovens cursilhistas da Diocese de Franca.

Aconteceram nesse final de semana dois eventos que movimentaram nossos jovens cursilhistas! Um em Claraval - MG e outro em Timbuí - ES!
O evento de Timbuí foi o Encontro da Macrorregião sudeste, nossos "heróis", depois de 19 horas de viagem chegaram ao destino; e segundo relato deles, valeu a pena o sacrifício! em breve mais informações quanto ao conteúdo dos nossos queridos Matheus Anarelli, Lais Garcia Zuccolo, Mateus Almeida, José Vitor Maritan, Letícia Junqueira, Julia Sandoval e Fábio Siqueira Jr. Obrigada por nos representarem! #gersoesosucesso!
O outro evento foi o Retiro Diocesano Para Jovens cursilhistas, que reuniu os dois setores da nossa Diocese; Franca e São Joaquim da Barra! Os 70 participantes puderam vier um final de semana muito rico em formação, oração e ação! Além é claro, de compartilhar da alegria e amizade que são próprias dos jovens!!
 Em breve, mais detalhes e fotos dos eventos!


5º Encontro Macrorregião Sudeste

Tema - Juventude e Misericórdia
Lema - “Quem pratica a misericórdia faça-o com alegria”
(Rm 12.8)
 
22 a 24 de julho 2016 – Timbuí-ES
 
Seis jovens de nosso GED irão participar do evento e estão muito confiantes de que nos trarão novidades que muito enriquecerão nosso movimento.
 
Confiram os depoimentos dos nossos jovens!

Letícia Junqueira, Cursilhista participou do 71º Cursilho para Jovens Feminino de Franca, frequenta as Escolas Vivenciais da Nossa Senhora das Graças e Capelinha.

“A expectativa de saber como é reunir tanta gente por um único e maravilho motivo é tão grande que não cabe em palavras.
Por ser o primeiro retiro "grande" que participo, não vejo a hora de saber como tudo funciona, todas as pessoas que la irei conhecer, as novas amizades, toda formação e crescimento que esse retiro vai me proporcionar, todo encanto que eu ja tenho por esse movimento que vai só aumentar e é tanta coisa que somente entregando todos os dias pra ter a certeza de que todas essas expectativas serão superadas.
 Só tenho a agradecer a Deus e ao movimento por essa oportunidade!”

 
José Victor Maritan, Cursilhista, participou do 80º Cursilho para Jovens Masculino de Franca, frequenta as Escolas Vivenciais da Nossa Senhora das Graças" e "Capelinha".

“Ser chamado para qualquer evento do MCC me deixa feliz demais. O convite para o Encontro Macrorregional me tocou de uma forma diferente pois será uma oportunidade única de reconhecer toda a proporção do movimento, além de conhecer as diferentes realidades e pessoas que o MCC abraça. Não vejo a hora de partirmos para o Espírito Santo em busca de "encher nossa conchinha" com o amor e a graça de Deus.”

 
Júlia Sandoval, é cursilhista, participou do 75º Cursilho para Jovens Feminino de  Franca, frequentadora da Escola Vivencial Nossa Senhora das Graças.
 
A alegria toma conta do meu interior em ter a oportunidade de participar do Encontro.
Imaginar vários jovens reunidos por amor a Jesus e com ânsia de servi-lo é inexplicável.
Dá um arrepio na alma e sinto o toque do Espírito Santo que vem inspirar nossas ações, para colorir nossos ambientes, ser fermento, sal e luz, colocando a mão na massa em prol do nosso Movimento de Cursilhos de Cristandade que objetiva levar nosso amado Deus ao próximo.
Aprender mais, formar na fé, muita oração, para agir e ter sustento no nosso tripé. Somos escolhidos de Deus para peregrinar em missão, única e exclusiva para honra e glória do nosso Senhor.
O mundo está sedento e nós temos a dádiva de bebermos todos os dias da água que mata a sede. É nossa responsabilidade nadar contra a corrente, é nosso dever ser testemunho vivo desse amor que nos move e nos lança cada vez mais para águas mais profundas e retirar da miséria tantos corações que ainda não O conhecem.
Sinto que renovo meu sim a Deus, que o dei desde muito novinha, com apenas seis aninhos de idade, desde então nunca mais deixei de segui-Lo. Quero que todos que estão pertinho de mim sintam essa alegria de ser de Deus e queiram seguir de mãos dadas nas estradas da vida.
Que o Encontro permita que eu saia da minha miséria humana e me aproxime cada vez mais de Jesus e Maria, e que, a partir desse encontro com Eles, eu consiga ter um coração misericordioso, exercitando a minha fé, com todos que estão a minha volta, sempre com um sorriso no rosto refletindo a felicidade de ser uma boa cristã!
 
Matheus do Couto Anarelli, é cursilhista, fez o 65 cur para jov e representante jovem do Grupo Executivo Diocesano.

Estou ansioso e bem esperançoso para este movimento, estamos indo  em 6 integrantes da Diocese, sendo que a maioria é nova neste tipo de encontro. Espero que aproveitemos bastante para partilhar as formas como cada diocese encontrou para seguir as diretrizes e encontrar soluções que respeitem e zelem pelo carisma do MCC.
Encontros como este nos dão fôlego novo para que sejamos firmes na nossa missão evangelizadora nos nossos ambientes e não "mundanizados".
 
Lais Garcia Zuccolo - é cursilhista. Participou do 83 Curilho Jov. de Franca. Frequenta a Escola das Graças.
 Este é o meu primeiro Encontro e as expectativas são as melhores possíveis. Ansiosa pela troca de experiências e vivências que com certeza serão enriquecedoras!

Mateus M. de Almeida, 19 anos é cursilhista. Participou do 72 cursilho para jovens masculino em 2014.  Participa da Escola Vivencial da Capelinha aos sábados e Escola Vivencial da Nossa Senhora das Graças às quartas feiras.

Felizes os misericordiosos porque alcançarão misericórdia.
Somos chamados a imitar Deus em nossas ações. Sendo um pouco mais abusado, posso dizer que somos chamados a ser como Deus nos fez: Servos do Amor, da Misericórdia, do Perdão, da Reparação. Resumindo, somos chamados a ser Santos, assim como nosso Pai celeste é Santo.
Uma juventude que se une em prol da santidade é motivo de festa no céu, e deveria ser motivo de glórias na Terra. Todos falando uma só linguagem, a do Amor. Isso é o que eu espero que ocorra no 5° EMJC, de mãos dadas na mesma estrada porque somos irmãos.
Analisando esse trecho do nosso ‘hino’ ouso ir além: as mãos dadas, assim como as mãos de Cristo crucificado, chagadas pelo Amor, simbolizam sofrimentos carregados juntos, um ajudando a carregar a cruz do outro em comunidade, uma única comunidade; na mesma estrada, no mesmo caminho que é o próprio Jesus; e como membros dessa Comunidade Militante fazemos parte de um mesmo corpo, a Igreja, e nisso nos fazemos irmãos; cada qual com sua função como membro desse corpo, pronto para AMAR, nas alegrias e nas dores, na diversidade de dons e talentos, como flores de um jardim, o jardim de Deus.
Força na oração! Na certeza da Graça, vamos juntos na fé, ligados pelo coração do Mestre ressuscitado!


"Vós sois o Sal da Terra e a Luz do Mundo" (Mt 5,13)

“O MCC em estado permanente de Missão”

 


Nos dias 17 a 19/06/2016, o Grupo Executivo Regional SUL - I Ribeirão Preto reuniu-se na cidade de Jaboticabal, com o tema "Vós sois o Sal da Terra e a Luz do Mundo" e o lema “O MCC em estado permanente de Missão”.
A Assembleia Regional foi um grande momento de partilha e confraternização entre os oito GED’s que compõem o nosso Regional, as trocas de experiências entre os GED’s muito nos fizeram crescer e acrescentaram muito conhecimento aos participantes.
A participação do experiente “Chiquinho”, membro do Grupo Executivo Nacional, aumentou nossa formação e nos levou a maior compreensão dos temas abordados.
Não posso me esquecer de registrar também as experiências de oração e forte espiritualidade vivenciadas na aconchegante capela.


 
Vaticano confirma canonização de Madre Teresa de Calcutá

Vaticano confirma canonização de Madre Teresa de Calcutá. Papa reconheceu cura de homem que sofria de tumores cerebrais.
Segundo jornal católico, ele era brasileiro e milagre aconteceu em 2008.



O Vaticano confirmou nesta sexta-feira (18/06) que irá canonizar Madre Teresa de Calcutá. A cerimônia será realizada em setembro de 2016, segundo a Igreja Católica.
"O Santo Padre autorizou a Congregação das Causas dos Santos a proclamar o decreto sobre o milagre atribuído à intercessão da beata madre Teresa", afirma o Vaticano em um comunicado.
Madre Teresa, que morreu em 1997 aos 97 anos e era conhecida como "santa das sarjetas", foi beatificada pelo papa João Paulo em 2003. A beatificação, que necessita de um milagre, é o último passo antes da canonização.

De acordo com o Vaticano, o Papa Francisco abriu caminho para a canonização após aprovar um decreto reconhecendo um milagre atribuído à religiosa – a cura inexplicável de um homem que tinha múltiplos tumores no cérebro.
Parentes rezaram e pediram ajuda à Madre Tereza, e o homem se recuperou, deixando médicos sem explicações.
Segundo o jornal dos bispos italianos "Avvenire", que já havia adiantado nesta quinta a canonização, o homem curado por Madre Teresa é um brasileiro que estava em fase terminal e se recuperou em 2008. O milagre aconteceu na diocese de Santos, no litoral de São Paulo.
Ainda de acordo com o jornal, o homem cuja cura foi atribuída a Madre Teresa tem hoje 42 anos. Em 2008, ele se encontrava em estado terminal, “com múltiplos abscessos no cérebro e hidrocefalia obstrutiva”, e já havia passado por um transplante de rim e terapia imunossupressora.
Era um caso extremamente crítico, com prognóstico desanimador e sem reação às terapias realizadas. De repente, sem cirurgia, o homem se curou. Um exame feito no ano seguinte determinou que a resolução da doença não tinha explicação científica.
De acordo com a vaticanista do jornal, Stefania Falasca, que conhece pessoalmente o Papa, Madre Teresa deverá ser canonizada no dia 4 de setembro de 2016, em Roma, durante o Jubileu da Misericórdia, iniciado no dia 8 de dezembro. A data deverá ser confirmada durante um consistório. Ainda não se sabe se a cerimônia será realizada em Roma ou na Índia.
O "Avvenire" afirma que a cura milagrosa atribuída à intervenção de Madre Teresa foi reconhecida durante uma reunião de especialistas da Congregação para as Causas dos Santos.

História
Madre Teresa de Calcutá (1910-1997), que nasceu em uma família albanesa na Macedônia, fundou sua própria congregação em 1950, as Missionárias da Caridade, e se dedicou durante mais de 40 anos aos pobres e aos doentes, especialmente na cidade indiana de Calcutá. Ela foi agraciada com o Prêmio Nobel da Paz em 1979.
Seu enterro em Calcutá no dia 5 de setembro de 1997 foi um acontecimento nacional na Índia e milhões de pobres acompanharam seu corpo pelas ruas da cidade. O funeral contou com a presença de chefes de Estado e governantes de todo o mundo.
Esta religiosa, uma das mais famosas e populares do mundo cristão, foi beatificada por João Paulo II no dia 19 de outubro de 2003, em Roma, durante uma cerimônia que teve a presença de 300 mil fiéis.



As Missionárias da Caridade tiveram origem em uma pequena congregação, que se transformou em uma rede que conta com cerca de 4.500 religiosas que trabalham em mais de 130 países, onde têm em torno de 700 casas dedicadas a ajudar os mais desfavorecidos.
A Ordem comemorou nesta sexta, em sua central na cidade de Calcutá, no leste da Índia, o anúncio da canonização.
"Estamos muito felizes e agradecidas. Soubemos da notícia nesta manhã", disse à Agência Efe a porta-voz da congregação em Calcutá, a irmã Christie, que reconheceu que as religiosas foram pegas de surpresa com o anúncio e que ainda não sabem o que vão fazer para celebrar a boa nova.
Em 2002, o Vaticano reconheceu um primeiro milagre atribuído à intervenção da madre Teresa, a cura de uma mulher de 30 ano de Bangladesh, Monika Besra, que sofria de um tumor abdominal.
A mulher se curou depois que as irmãs da congregação a presentearam com uma "medalha milagrosa" da Virgem, que antes havia sido usada pela beata falecida em 1997, aos 87 anos.
O Papa Francisco conheceu a religiosa, por ocasião de um sínodo de bispos em 1994 em Roma.

Caminho para se tornar santo
São três as etapas pelas quais deve passar o candidato a santo – confirmação das "virtudes heroicas", beatificação, e canonização -, para as quais se necessita de um milagre comprovado.
O primeiro passo para o processo de beatificação geralmente é dado pelo bispo da diocese à qual pertence o candidato e dificilmente antes dos cinco anos posteriores à sua morte.
Durante a investigação, primeiro se demonstra que o candidato tinha "fama de santidade" e que merece ser proposto à canonização.
Os teólogos consultores, os cardeais e até o papa têm o direito de opinar nesta etapa do processo, depois da qual se pode prever a beatificação, sempre e quanto se tenha demonstrado pelo menos a existência de um milagre que possa ser atribuído ao candidato.
Mas demonstrar a validade do milagre não é tarefa fácil. A Congregação para as Causas dos Santos se vale da assessoria de uma equipe de 70 médicos e vários especialistas, assim como dos estudos clínicos aos quais é submetido o indivíduo supostamente curado por um milagre.
Uma primeira aproximação do fenômeno denominado "milagre" é que a cura tenha acontecido de forma instantânea, perfeita e duradoura e inexplicável cientificamente, como a de uma doença incurável ou muito difícil de se tratar.

Fonte: G1


Bula Papal Misericordiae Vultus
22/06/2016

O Retiro anual do MCC deste Ano Jubilar (2016) teve como base a Bula Papal Misericordiae Vultus. Tudo foi muito especial para todos nós que tivemos a graça de participarmos. Saímos dele com a proposta do gesto concreto sugerido pelo Papa, fazermos uma Peregrinação à Porta Santa e participarmos também das “24 Horas com o Senhor”! Assim aconteceu! Foram experiências ímpares em nossa caminhada de fé!

Um ano jubilar, levanta algumas dúvidas que tentaremos iluminar com esse texto.

O que é o Ano Santo?
O Papa Francisco anunciou o Jubileu do Ano Santo da Misericórdia por meio da Bula de Proclamação Misericordiae Vultus (O Rosto da Misericórdia). O Jubileu inicia em 08 de dezembro de 2015 e se concluirá no dia 20 de novembro de 2016, com a Solenidade de Jesus Cristo Rei do Universo.
A celebração do Jubileu se origina no judaísmo. Consistia em uma comemoração de um ano sabático que tinha um significado especial. A festa se realizava a cada 50 anos. Durante o ano os escravos eram libertados, restituíam-se as propriedades às pessoas que as haviam perdido, perdoavam-se as dívidas, as terras deviam permanecer sem cultivar e se descansava. Era um ano de reconciliação geral. Na Bíblia, encontramos algumas passagens dessa celebração judaica (cf. Lv 25,8).

O que significa Jubileu?
A palavra Jubileu se inspira no termo hebreu de yobel, que se refere ao chifre do cordeiro que servia como instrumento musical. Jubileu, também tem uma raiz latina, iubilum que representa um grito de alegria. Na tradição católica, o Jubileu consiste em que durante um ano se concedem indulgências aos fiéis que cumprem certas disposições estabelecidas pelo Papa. O Jubileu pode ser ordinário ou extraordinário. A celebração do Ano Santo Ordinário acontece em um intervalo a cada 25 anos, com o objetivo de que cada geração experimente pelo menos uma em sua vida. Já o Ano Santo Extraordinário se proclama como celebração de um fato destacado. O Jubileu proclamado pelo Papa Francisco é um Ano Santo Extraordinário. É um convite para que, de maneira mais intensa, fixemos o olhar na Misericórdia do Pai.

Por que abrir uma porta no Ano Santo?
A Porta Santa, na Basílica de São Pedro, em Roma, só se abre durante um Ano Santo e significa que se abre um caminho extraordinário para a salvação. Na cerimônia de abertura, o Papa toca a porta com um martelo três vezes enquanto diz: “Abram-me as portas da justiça; entrando por elas confessarei ao Senhor”. Depois de aberta, entoa-se um canto de Ação de Graças e o Papa atravessa esta porta com seus colaboradores.

O que fazer nesse ano?
Na Bula Misericordiae Vultus, o Papa Francisco sugere algumas iniciativas que podem ser vividas em diferentes etapas:
  • Realizar peregrinações;
  • Praticar as obras de misericórdia;
  • Intensificar a oração;
  • Passar pela Porta Santa em Roma ou na Diocese;
  • Perdoar a todos;
  • Buscar o Sacramento da Reconciliação;
  • Superar a corrupção;
  • Receber a indulgência;
  • Participar da Eucaristia;
  • Fortalecer o ecumenismo;
  • Converter-se.

O que é a indulgência?
Indulgência é a remissão diante de Deus da pena devida aos pecados, cuja culpa já foi perdoada. Cada vez que alguém se arrepende e se confessa, é perdoada a culpa dos pecados cometidos, mas não a pena. Por exemplo, se alguém mata uma pessoa e se arrepende, depois pede perdão e procura o Sacramento da Penitência, receberá o perdão. Contudo, como repassar o mal cometido que tirou a vida de alguém? Por isso permanece uma pena após o perdão. Essa situação pode ter um indulto, uma indulgência, que a Igreja oferece em certas condições especiais e quando o fiel está bem disposto a buscar a santidade de vida, aproximando-se cada vez mais de Deus. A Igreja pode oferecer a indulgência pelos méritos de Cristo, de Maria e dos santos que sempre participam da obra da salvação. Sobre isso, escreveu o Papa Francisco: “No sacramento da Reconciliação, Deus perdoa os pecados, que são verdadeiramente apagados; mas o cunho negativo que os pecados deixaram nos nossos comportamentos e pensamentos permanecem. A misericórdia de Deus, porém, é mais forte também do que isso. Ela torna-se indulgência do Pai que, através da Esposa de Cristo, alcança o pecador perdoado e liberta-o de qualquer resíduo das consequências do pecado, habilitando-o a agir com caridade, a crescer no amor em vez de recair no pecado” (Misericordiae Vultus, 22).

Como receber a indulgência?
Para receber a indulgência todos são chamados a realizar uma breve peregrinação rumo à Porta Santa, aberta em cada Catedral ou nas igrejas estabelecidas pelo Bispo diocesano, como sinal do profundo desejo de verdadeira conversão. É importante que este momento esteja unido, em primeiro lugar, ao Sacramento da Reconciliação e à Celebração da Eucaristia com uma reflexão sobre a Misericórdia. Será necessário acompanhar essas celebrações com a profissão de fé e com a oração pelo Papa, para o bem da Igreja e do mundo inteiro.

Há indulgências para os falecidos?
A indulgência pode ser obtida também para os que faleceram. A eles estamos unidos pelo testemunho de fé e caridade que nos deixaram. Assim como os recordamos na Celebração Eucarística, também podemos, no grande mistério da Comunhão dos Santos, rezar por eles, para que o rosto misericordioso do Pai os liberte de qualquer resíduo de culpa e possa abraça-los na felicidade sem fim.

E os doentes e idosos?
Para eles será de grande ajuda viver a enfermidade e o sofrimento como experiência de proximidade ao Senhor que no mistério da sua paixão, morte e ressurreição indica o caminho para dar sentido à dor e à solidão. Viver com fé e esperança este momento de provocação, recebendo a comunhão ou participando na Celebração Eucarística e na oração comunitária, inclusive através dos vários meios de comunicação, será, para eles, o modo de obter a indulgência jubilar.

As obras de misericórdia
A experiência da misericórdia torna-se visível pelo testemunho concreto. Todas as vezes que um fiel viver uma ou mais destas obras pessoalmente, obterá a indulgência jubilar.

Obras corporais
Dar de comer aos famintos;
Dar de beber aos que tem sede;
Vestir os nus;
Acolher o estrangeiro;
Visitar os enfermos;
Visitar os encarcerados;
Sepultar os mortos.

Obras espirituais
Aconselhar os duvidosos;
Ensinar os ignorantes;
Admoestar os pecadores;
Consolar os aflitos;
Perdoar as ofensas;
Suportar com paciência as injustiças;
Rezar a Deus pelos vivos e pelos mortos.
Com informações do Jubileu da Misericórdia da Arquidiocese de Porto Alegre
Testemunho da Nossa peregrinação em Franca:

Peregrinação à Porta Santa

Esta data ficará marcada no coração de todos nós Cursilhistas, que participamos da Peregrinação e Passagem pela Porta Santa na Catedral Nª Sra Imaculada Conceição. Vale lembrar a preparação feita para esse evento, no Retiro diocesano, nas escolas e a confissão de nossos pecados visando a Graça de recebermos as indulgências plenárias que esse ato pode nos oferecer. Uma verdadeira “Chuva de Graças”!
Penso que vale registrar as palavras do Papa Francisco sobre a Porta Santa, lembrando que o tema será estudado e partilhado exaustivamente em nossas escolas durante todo o ano da misericórdia:
“Diante de nós está a porta, mas não somente a Porta Santa, outra: a grande porta da Misericórdia de Deus – e essa é uma porta bela! –, que acolhe o nosso arrependimento oferecendo a graça do seu perdão. A porta é generosamente aberta, é preciso um pouco de coragem da nossa parte para cruzar o limiar. Cada um de nós tem dentro de si coisas que pesam. Todos somos pecadores! Aproveitemos esse momento que vem e cruzemos o limiar dessa misericórdia de Deus que nunca se cansa de perdoar, nunca se cansa de nos esperar! Ele nos olha, está sempre próximo a nós. Coragem! Entremos por essa porta!


24 Horas com o Senhor (04,05/02)

Na Bula de convocação do Jubileu (Misericordiae Vultus), o Papa escreveu:
“A iniciativa “24 horas para o Senhor”, a ser celebrada na sexta-feira e sábado que precedem o IV Domingo da Quaresma, deve ser incrementada nas dioceses. Muitas pessoas estão se reaproximando do sacramento da Reconciliação e, entre estas, muitos jovens, que nesta experiência muitas vezes reencontram o caminho para voltar para o Senhor, para viver um momento de intensa oração e redescobrir o sentido da própria vida”.Clique aqui para editar o texto predefinido!


Balanço das Atividades do GED
10/03/2016
 
“Um pouco de misericórdia torna o mundo menos frio e mais justo”: era 17 de março de 2013 quando o Papa Francisco pronunciou essas palavras. Já em seu primeiro Angelus como Pontífice. Traçava assim uma das linhas-mestras do seu Magistério: a misericórdia.
 
“Não digo: é bom para a Igreja este momento extraordinário... não, não! Digo: a Igreja precisa desse momento extraordinário”, disse o Papa referindo-se ao Ano da Misericórdia. Francisco enfatizou o sentido desse Ano Santo: um tempo favorável para contemplar a misericórdia divina que ultrapassa qualquer limite humano. Mas esse período só será realmente favorável se as pessoas escolherem o que agrada a Deus: perdoar seus filhos, usar de misericórdia para com eles para que possam ser misericordiosos para com os outros.”
 
Nessa linha da misericórdia, nós MCC inserido na Diocese de Franca, procuramos caminhar com a Igreja Mãe e Mestra, assim sendo o primeiro trimestre de 2016 está sendo para nós uma fonte abundante da misericórdia do Pai, temos mergulhado no tema e aproveitado de suas maravilhas.
 
Nossas atividades, enquanto Movimento, se iniciaram com o retiro diocesano envolvendo os setores Franca e São Joaquim da Barra, o tema do retiro não poderia deixar de ser a Misericórdia: “Sede misericordiosos como o Pai”; durante um final de semana refletimos e colocamos em prática o tripé Formação- Oração – Ação; na tentativa esperançosa de nos abastecermos para o ano de atividades programadas para o Cursilho.
 
Fazendo um balanço das atividades realizadas nos meses de Janeiro e Fevereiro, e as que estão, com a graça de Deus acontecendo neste mês de Março, vejo o quanto somos agraciados com a misericórdia de Deus, Ele tem nos fortalecido e impulsionado a caminharmos diariamente na meta de Evangelizarmos nossos Ambientes, acreditando na promessa de Jesus... “Eis que estarei convosco todos os dias, até o final dos tempos (Mt 28, 20).”
 
Deixo registradas aqui, em outra oportunidade falarei sobre cada uma, algumas das atividades do movimento nesses quase três meses de caminhada na misericórdia do Pai:
Retorno das Escolas Vivenciais (07/01)
 
Retiro Diocesano (19 a 21/02)
 
Peregrinação à Porta Santa (25/02)
 
24 Horas com o Senhor (04,05/02)
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal